Espiões poderão em breve fazer escutas usando insetos reais, graças a uma pesquisa financiada pelo exército americano.

A Agencia Americana de Projetos de Pesquisas Avançadas passou anos desenvolvendo uma tropa inteira de insetos cyborg, na esperança de criar a perfeita ‘mosca na parede’.
Agora, uma equipe de pesquisadores liderada por Hirotaka Sato criou besouros-cyborg que são controlados remotamente através de um laptop.

Utilizando implantes, eles descobriram como controlar a decolagem, vôo e pouso do besouro, estimulando o cérebro a mexer as asas de forma correta.
Eles controlam curvas através do estímulo dos músculos basilar de um lado ou do outro para fazer as asas daquele lado se mover mais rápido.

O “implante” usa estimuladores de nervos e músculos, uma micro-bateria e um microcontrolador com uma antena.

A filmagem dos besouros em ação foi lançado no YouTube, veja mais abaixo.

Eles foram implantados no besouros quando estes estavam na fase de pupa.
Três tipos de grandes besouros originários do país de Camarões foram utilizados nos experimentos na Universidade de Berkeley, na Califórnia. O menor tem 2 centímetros de comprimento, enquanto o maior tem 20cm.
Segundo o professor Noel Sharkey, um perito internacional em inteligência artificial e robótica da Universidade de Sheffield, houve tentativas no passado de controlar insetos, como baratas, mas esta é a primeira vez que se consegue controlar o vôo dos insetos remotamente.

O Professor Sharkey questionou a aplicação militar de besouros controlado remotamente pois seria necessário também implantar um transmissor GPS e uma câmera, o que seria demasiado pesado mesmo para o maior besouro carregar.

Os pesquisadores de Berkeley sugeriram que os besouros ‘Cyborg’ – parte besouro, parte máquina – poderiam servir como modelos para micro-aéro-veículos.

1ºVideo

2ºVideo

Espiões poderão em breve fazer escutas usando insetos reais, graças a uma pesquisa financiada pelo exército americano.

A Agencia Americana de Projetos de Pesquisas Avançadas passou anos desenvolvendo uma tropa inteira de insetos cyborg, na esperança de criar a perfeita ‘mosca na parede’.
Agora, uma equipe de pesquisadores liderada por Hirotaka Sato criou besouros-cyborg que são controlados remotamente através de um laptop.

Utilizando implantes, eles descobriram como controlar a decolagem, vôo e pouso do besouro, estimulando o cérebro a mexer as asas de forma correta.
Eles controlam curvas através do estímulo dos músculos basilar de um lado ou do outro para fazer as asas daquele lado se mover mais rápido.

O “implante” usa estimuladores de nervos e músculos, uma micro-bateria e um microcontrolador com uma antena.

A filmagem dos besouros em ação foi lançado no YouTube, veja mais abaixo.

Eles foram implantados no besouros quando estes estavam na fase de pupa.
Três tipos de grandes besouros originários do país de Camarões foram utilizados nos experimentos na Universidade de Berkeley, na Califórnia. O menor tem 2 centímetros de comprimento, enquanto o maior tem 20cm.

Segundo o professor Noel Sharkey, um perito internacional em inteligência artificial e robótica da Universidade de Sheffield, houve tentativas no passado de controlar insetos, como baratas, mas esta é a primeira vez que se consegue controlar o vôo dos insetos remotamente.


O Professor Sharkey questionou a aplicação militar de besouros controlado remotamente pois seria necessário também implantar um transmissor GPS e uma câmera, o que seria demasiado pesado mesmo para o maior besouro carregar.

Os pesquisadores de Berkeley sugeriram que os besouros ‘Cyborg’ – parte besouro, parte máquina – poderiam servir como modelos para micro-aéro-veículos.

Sato e colegas disseram também que os besouros poderia servir como “correios” para locais inacessíveis. A equipe de Berkeley também estáfazendo o experimento em libélulas, moscas e traças por causa de sua “capacidade inigualável de vôo”.

  • Controle via implantes no cérebro em humanos, realidade ou ficção?

O uso da mesma tecnologia em humanos soaria claramente como ficção, vindo diretamente de filmes como Matrix, mas achei alguns artigos reais sobre o uso eletrodos implantados em humanos. O Dr. José Manuel Rodriguez Delgado, um espanhol famoso por suas pesquisas em estimulação elétrica do cérebro. delgado foi o criador do stimoceiver, que era um aparelho que conectava ao cérebro dos pacientes e permitia tanto receber dados de eletroencefalografia como enviar estímulos ao cérebro via rádio. Nestes estudos os pacientes eram recebiam diferentes estímulos que os levavam a sentir prazer, falar, ou até mesmo atacar a parede. Se estes estudos foram feitos nos anos 60 com resultados tão impressionantes, você acha que pararam por ali?

Eu ja havia me deparado com isto há um tempo atrás, existem milhares de vítimas de implantes nao consentuais no mundo inteiro, com várias organizações civis que visam protege-las do assédio e perseguição que sofrem.

Abaixo fotos da paciente sob o efeito de estímulos para sentir prazer e em seguida estímulos para que sentisse raiva e atacasse a parede.

O objectivo final do DARPA é criar insetos-cyborg que podem voar mais de 300 pés até seu alvo, permanecer estáticos até que seja enviada uma ordem para se voar novamente.

Fonte

Abra sua Mente,Pesquise, Pare,pense,reflita,filtre,tome atitude, afinal o mundo não é bem assim como nos contaram.

Para entender o doque se trata a despopularização do ser humano , vamos ver primeiramente o video sobre as Pedras da Geórgia.

Agora vamos prosseguir com Codex alimentarius, e um video com David Rockefeller, um dos senhores do mundo.

David Rockefeller fala sobre a despopularização do mundo tire sua conclusão e não deixe de comentar.

Codex alimentarius, isso você vai ter quem engolir!

Parte1 resumo

Parte2 substancias

Parte3 alimentos


E com este você se refresca!

David Icke-O fluor

Microchips

E vida de gado povo marcado povo feliz!

Que passam nos projetos do fututo,não voam nem se podem flutuar!

Abra sua Mente,Pesquise, Pare,pense,reflita,filtre,tome atitude, afinal o mundo não é bem assim como nos contaram.